segunda-feira , 22 Janeiro 2018
Home / Política / “A Lava Jato virou quase uma religião”, diz novo líder petista em CPI

“A Lava Jato virou quase uma religião”, diz novo líder petista em CPI

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em 14/12/2017 às 19:03:36

deputado Paulo Pimenta (PT-RS), escolhido por unanimidade para assumir a liderança da bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, a partir de janeiro, afirmou hoje (14), no último dia de funcionamento da CPMI da JBS, que a bandeira legítima do combate a corrupção tem sido usada como ferramenta de manipulação da sociedade para manutenção de privilégios e distorções de alguns.

“Hoje não se pode discutir a lei do teto salarial ou o abuso de autoridade porque isso ‘enfraquece a Lava Jato’. E isso fica muito claro quando você passa a tratar um criminoso que faz uma delação como ‘senhor delator’ e o indivíduo que cometeu o mesmo crime e não delatou como o ‘bandido’. A Lava Jato virou quase uma religião, que ao delatar, você se absolve dos seus pecados”, ironizou.

Nessa quarta (13), ao ser anunciado como novo líder do PT, ele destacou que se dedicará à luta contra a tentativa de impedir a participação de Lula nas eleições de 2018.

“Após essa primeira etapa do processo golpista em curso no Brasil, de deposição da presidenta Dilma e de implementação da agenda política neoliberal, em 2018 seguem os desafios da resistência política e o próximo passo é derrotar o movimento ultraconservador que tenta impedir uma possível candidatura do ex-presidente Lula nas eleições presidenciais de 2018”, acrescentou.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Compartilhar

Veja Também

Temer não quer deixar cargo como ‘sujeito que incorreu em falcatruas’

20/01/2018 às 15:21:35 O presidente Michel Temer disse que não vai deixar a presidência como um ...

Deixe uma resposta