segunda-feira , 20 agosto 2018
Home / Mundo / Adolescente é multado em R$ 139 milhões por provocar incêndio florestal que durou 3 meses

Adolescente é multado em R$ 139 milhões por provocar incêndio florestal que durou 3 meses

A decisão é do tribunal de Hood River, um dos 36 condados pertencentes ao Estado Americano de Oregon Foto: CBS / BBCBrasil.com (Foto: Reprodução/ Terra)

Em 23/05/2018 às 13:05

Um adolescente de 15 anos foi condenado a pagar multa de US$ 36,61 milhões, o equivalente a R$ 139,14 milhões, após admitir ter provocado um incêndio florestal de grandes proporções que durou meses no Estado de Oregon, nos Estados Unidos.

Na decisão, o juiz do condado de Hood River, John Olson, também determinou que o jovem escreva pedidos de desculpas a 152 pessoas que, com a proliferação das chamas, ficaram presas em trilhas existentes na região.

Ele terá de cumprir, ainda, cinco anos de prisão em regime de liberdade condicional e prestar 1.920 horas de serviço comunitário para o Serviço Florestal dos EUA.

O incêndio, que atingiu a área florestal de Eagle Creek e persistiu durante quase três meses na área da Garganta do Rio Columbia, de grande beleza natural, destruiu várias casas.

Jack Morris, advogado que representa o adolescente, chamou o valor da multa de “absurdo” e “absolutamente ridículo”. Ele pediu que fosse estabelecido um valor mais “razoável e racional”, mas a pena foi mantida, com possibilidade de flexibilização.

O juiz alegou que a quantia “é claramente proporcional ao crime porque não excede os danos financeiros causados pelo jovem”.

Reconheceu, porém, que o adolescente não terá condições de pagar o valor total e citou “válvulas de escape” previstas na lei estadual que permitem que infratores juvenis interrompam pagamentos após 10 anos, se concluírem o período de liberdade condicional e não cometerem nenhum outro crime. 

 O adolescente – que não é identificado nos documentos judiciais – se declarou culpado de oito acusações de provocar incêndio irresponsável em propriedades públicas e privadas, de duas acusações de depósito de materiais em chamas em área florestal, bem como de causar danos criminosos e pôr outras pessoas em perigo de forma imprudente.

Ele havia admitido que teria soltado, em setembro do ano passado, fogos de artifício em Eagle Creek, a cerca de 80 km de Portland, região de vegetação seca e altamente inflamável. Acabou, com isso, dando início ao incêndio.

As chamas destruíram várias casas, engoliram quase 20 mil hectares e custaram US$ 18 milhões (R$ 68,4 milhões) de custos com serviços de bombeiros.

Na decisão proferida segunda-feira, o tribunal determinou que os US$ 36.618.330 (139,14 milhões) da multa sejam pagos às vítimas de Eagle Creek, incluindo o Serviço Florestal dos Estados Unidos, o Departamento de Transportes do Oregon, as Tribos Confederadas de Warm Springs e a Comissão Pesqueira Intertribal do Rio Columbia.

O juiz orientou os oficiais que acompanharão a liberdade condicional do jovem a ajudá-lo a criar um cronograma de pagamentos.

Durante sua audiência em fevereiro, ele pediu perdão ao tribunal, dizendo: “Sei que terei de viver com o peso dessa decisão pelo resto da vida, mas aprendi com essa experiência e vou trabalhar duro para ajudar a reconstruir a comunidade da maneira que eu puder”.

Ele também afirmou perceber agora “como é importante pensar antes de agir, porque minhas ações podem ter sérias consequências”.

Sua mãe disse ao jornal Oregonian, em novembro, que o incêndio foi “um trauma” para ele. 

Terra

Compartilhar

Veja Também

Papa Francisco diz que abuso é um ‘horror trágico’ a ser eliminado

Em 17/08/2018 às 10:23 O Vaticano expressou nesta quinta-feira (16) sua “vergonha e tristeza” pelo relatório ...

Deixe uma resposta