sábado , 22 setembro 2018
Home / Política / Camilo Santana diz que Ciro Gomes é a esperança e está junto

Camilo Santana diz que Ciro Gomes é a esperança e está junto

Camilo Santana, abraçado com Cid, pega no braço de Ciro, à frente da Lia, irmã dos dois aos quais chamou de “irmãos” no discurso de sábado (Foto: Reprodução)

Em 20/08/2018 às 11:26

O governador Camilo Santana (PT) disse sábado (18), em evento do PDT, que Ciro Gomes, candidato pedetista à Presidência da República, dá “uma grande contribuição ao processo importantíssimo, que é o processo eleitoral que estamos vivendo”. Segundo ainda Camilo, Ciro “representa a esperança”. “Estamos juntos”, disse o governador em outro momento, olhando para o presidenciável do PDT.

Camilo foi o penúltimo a discursar (Ciro foi o último) no evento de inauguração do comitê do deputado federal André Figueiredo, presidente estadual do PDT. Todo o discurso do petista, praticamente, foi de elogios aos irmãos Cid e Ciro Gomes. Ele chegou a dizer que Cid, seu antecessor, foi “o maior governador do Ceará de todos os tempos”, e depois pediu desculpas a Ciro, que também foi governador.

Todos os pronunciamentos, a partir do feito pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, destacaram a candidatura de Ciro, inclusive com críticas a alguns dos outros candidatos à Presidência da República. Cid Gomes, candidato ao Senado, chegou a dizer que pelo menos cinco dos postulantes à chefia do Executivo nacional “deveriam estar no manicômio”, mas não os citou nominalmente.

Pesquisa

Para Cid, dois dos concorrentes de Ciro são ligados ao presidente Temer (MDB): Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB). Cid também fez restrições aos candidatos do campo progressista, pois hoje, segundo ele, ninguém quer mais ser de esquerda em razão dos casos de corrupção acontecidos em governos de esquerda, sem também mencionar Lula e Dilma, do PT.

Conquistar o maior número possível de eleitores na sua terra natal é um dos desafios de Ciro Gomes. Na semana que passou, ele fez dois eventos de campanha em Fortaleza. Hoje, na parte da manhã, terá um outro, quando visita a creche de tempo integral Professora Heley de Abreu Silva, no Bairro Serrinha.

Em recente pesquisa Ibope contratada pela Televisão Verdes Mares, também publicada pelo Diário do Nordeste, Ciro aparece atrás do ex-presidente Lula. O petista tem 56% das intenções de voto, enquanto o ex-ministro, 15%. No cenário sem Lula, Ciro assume a ponta com 39% e Fernando Haddad (PT), eventual substituto de Lula, registra apenas 2%. Bolsonaro, no cenário com Lula, é o terceiro no Ceará, mas sem Lula é o segundo.

Migração

“Pesquisa é um retrato do momento. A gente precisa trabalhar. Está na hora de apresentar propostas. Daqui a pouco a população vai ver que o que a cúpula do PT está fazendo é uma grande fraude. Isso é que me choca”, disse. Ciro afirmou que foi procurado por petistas para ser o vice de Lula e, no futuro, se transformar no candidato da chapa da esquerda. “Até as pedras do caminho sabem, e a cúpula do PT sabe, que não vão deixar o Lula ser candidato. Aí vão querer fazer uma grande frustração e apontar uma pessoa que não é conhecida, só porque as pessoas vão ficar revoltadas, indignadas, entristecidas com a não indicação do Lula”, disse. Para o pedetista, um presidente eleito nestas condições seria “desse ´tamanhinho´ (fez gesto com os dedos), do tamanho de um gafanhoto dos pequenos”.

Sobre possível migração de votos de Lula para Haddad, por sua vez, ele disse que tem “horror a coronel, porque esse negócio de tanger eleitor é uma coisa que considero desde sempre muito errada”. “Os votos do Ceará vão para o melhor candidato. Tenho esperança de demonstrar ao povo que pode até ser que tenha alguém mais capaz, mais competente do que eu, mas ninguém ama mais e conhece mais o Ceará como eu”, completou.

Palanque

Para centenas de militantes e correligionários, Ciro abordou diversos pontos no palanque, como projetos na área econômica, com atenção aos jovens, agricultura e segurança pública. Sobre o primeiro ponto, reforçou a proposta que visa devolver poder de compra dos brasileiros com a retirada de nomes de endividados de empresas de proteção ao crédito, como SPC. “Eu nem queria transformar na minha principal proposta, mas os adversários botaram defeito. Quer saber? Deixa eles engolirem o anzol, engolirem a linha. Quando tiverem com a boca já na vara, eu vou mostrar como é que faz. Não tem mistério para quem conhece o ramo”, enfatizou.

A segurança pública também mereceu destaque no discurso do presidenciável, quando ele citou a atuação de organizações criminosas no Ceará, que seria de responsabilidade, também, do Governo Federal. “Tem que ter um presidente que não tenha medo de dizer em alto e bom som: ´atenção PCC, atenção Comando Vermelho, atenção facção dos abestados daqui, GDE. Eu chegando à Presidência da República, vai tudo para presídio federal com solitária, sem comunicação, porque vocês escolheram o povo errado “.

Ele retribuiu, ainda, os elogios recebidos do governador Camilo Santana, defendendo a sua reeleição, segundo disse, por estar fazendo uma grande administração no Estado, apesar de todas as dificuldades.

Fonte: Diário do Nordeste

Compartilhar

Veja Também

‘Haddad não deu conta de São Paulo, vai dar do Brasil?’, diz Alckmin

Em 22/09/2018 às 08:11 Em campanha em Salvador nesta sexta-feira (21), Geraldo Alckmin (PSDB) questionou a ...

Deixe uma resposta