sábado , 20 outubro 2018
Home / Brasil / Loja devolve dinheiro de móveis após morte de bebê e atitude emociona

Loja devolve dinheiro de móveis após morte de bebê e atitude emociona

“É o mínimo que a gente pode fazer”, diz a criadora da Ameise Design, Luciana Raunaimer (Foto: Reprodução/Notícias ao Minuto)

Em 14/12/2017 às 09:37:42

Uma história conquistou internautas nas últimas semanas, quando uma loja de móveis se ofereceu para ajudar uma mãe, Renata Senise, de 33 anos, que perdeu sua filha dez dias após o nascimento.

A arquiteta responsável pelo projeto ofereceu duas alternativas para desfazer o quarto da filha: a desmontagem e devolução do dinheiro ou a desmotagem e a remodelagem para quando a família desejasse. Isso, sem cobrar nada. Renata optou pela retirada e devolução dos móveis.

“Abrir a porta (do quarto) e sentir aquele cheiro me desmontou inteira. Segurei o choro no fundo da garganta. Um dos moços que veio foi o mesmo que montou tudo pra mim. E eu vi neles uma tristeza de estarem fazendo isso. Eles foram a gentileza em pessoa”, disse. “No meio desse mundo frio, duro e egoísta, vejo cores e bondade e amor”, completou.

Em entrevista ao UOL, Luciana Raunaimer, criadora da Ameise Design, informou que não há uma política expressa da empresa para casos como esse, mas que o auxílio no período pós-venda é oferecido.

“É o mínimo que a gente pode fazer, não é nada extraordinário. Pra gente é normal: se não tem um bebê, o que você vai fazer com o berço? Quer devolver, quer guardar, como a gente pode te ajudar? A perda é muito dolorosa e, além de tudo, ter que pensar ´como que eu vou desmontar esse berço´, ´onde que eu vou guardar´ já é demais”, afirma.

Como cada família lida com o luto de forma diferente, a loja não aborda os clientes de forma direta. “A gente só faz isso também se existe uma abertura, se alguém nos aciona. Não vamos ligar para cliente para falar ´oi, tudo bem? Quer desmontar seu quarto?´. A gente toma muito cuidado, porque é uma fase muito sensível. Não consigo nem imaginar o que é perder um filho”, diz.

Apesar da loja não ter divulgado a medida “humana”, seguidores enaltecem a atitude da loja nos últimos posts da empresa no Facebook, com comentários positivos e  ´parabéns´. 

“Estamos muito felizes pelo reconhecimento, mas, ao mesmo tempo, é uma situação superdelicada. A gente não se sente confortável de divulgar (a história na página)”, afirmou Luciana.

NoticiasaoMinuto

Compartilhar

Veja Também

Jornalista que denunciou possível ‘Caixa 2 de Bolsonaro’ sofre ataques

Em 19/10/2018 às 12:13 A jornalista Patrícia Campo Mello está sofrendo ataques através de redes sociais devido ...

Deixe uma resposta