segunda-feira , 15 outubro 2018
Home / Polícia / Recorde de 6,8 Kg de drogas apreendidas na PIRC de Juazeiro seria para o “pernoite do amor”

Recorde de 6,8 Kg de drogas apreendidas na PIRC de Juazeiro seria para o “pernoite do amor”

Maconha poderia ser para o “pernoite do amor” de sábado para domingo (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Em 20/09/2018 às 09:38

 Em menos de uma semana quase 10 Kg de drogas já foram apreendidas no interior da Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC) em Juazeiro do Norte. O recorde ficou por conta do “rebolo” encontrado por agentes penitenciários quando faziam o patrulhamento interno por volta das 20 horas desta terça-feira. Indivíduos que se aproximaram de uma das muralhas pela Avenida Paizinho Sabiá arremessaram 6,8 Kg de maconha se constituindo na maior apreensão já feita naquela unidade prisional.

Por coincidência, a “chuva de maconha” caiu exatamente na área por onde passavam os agentes os quais recolheram os pacotes com substâncias entorpecentes e comunicaram o fato ao diretor da PIRC, Erick Rommel Arrais, que, nesta quarta-feira, se encarregou de apresentar na 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil. Na hora em que a droga foi arremessada três internos estavam à espreita na vivência e correram ao verem os agentes apanhando a maconha.

Não foi impossível identificá-los por conta da escuridão. Provavelmente, a droga seria para o “pernoite do amor”, de sábado para o domingo, quando os internos passarão a noite soltos nas vivências com suas companheiras. Atualmente, a população carcerária da PIRC é de 780 internos e a estimativa é que cerca de 300 mulheres se apresentarão para o pernoite. Na noite da última quinta-feira agentes penitenciários já tinham interceptado quase 2 Kg de maconha arremessados para o interior da penitenciária.

Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Compartilhar

Veja Também

Quatro mulheres são vítimas de feminicídio em São Paulo

Em 15/10/2018 às 11:14 Quatro vítimas de feminicídio morreram neste feriado prolongado no estado de São ...

Deixe uma resposta