Prefeitura de Juazeiro do Norte orienta quanto à aplicação da vacina antirrábica humana
16/08/2019 08:55 em Juazeiro do Norte

Diante da redução no quantitativo da vacina antirrábica humana disponibilizada pelo Ministério da Saúde em todo o país, a Prefeitura de Juazeiro do Norte, através da Secretaria da Saúde, orienta quanto à necessidade do cumprimento da aplicação do esquema vacinal de forma racional. 

Uma vez por mês uma nova remessa da vacina chega ao Município, em média 90 doses. No entanto, a quantidade recebida está sendo menor do que a demanda de procura. Semanalmente são enviadas doses para a UPA e para o Hospital Estephânia. 

“A pessoa que sofre o acidente com mordida de animal deve passar no profissional médico para que ele avalie a necessidade de vacina. Diante da restrição do número de doses é feita uma triagem, porque nem todo acidente tem indicação de vacina”, explica a coordenadora de imunização de Juazeiro do Norte, Márcia Rejane. 

De acordo com orientações do Ministério da Saúde, os casos em que não há indicação de vacina são aqueles em que o animal que provocou o acidente é passível de observação contínua por no mínimo dez dias, “a não ser que o animal evolua ao óbito, desapareça, ou apresente sinais clínicos”, destaca nota informativa do Ministério. 

Acidentes leves, provocados por animais que seja possível a observação, é recomendado lavar o local com água e sabão. O uso do soro e da vacina antirrábica é feito em situações envolvendo morcego ou outros animais silvestres, bem como cães e gatos que não são observáveis. 

“Nesse cenário de escassez desse imunobiológico, é imprescindível que o protocolo de profilaxia da raiva humana pós-exposição seja cumprido, visando evitar a falta do insumo para os casos mais graves e que mais necessitam da profilaxia”, reforça a nota informativa do Ministério da Saúde.

ASCOM

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!